Neste artigo vamos explicar o que é planejamento estratégico, porque ele é tão importante e através de um passo a passo prático vamos te ajudar a revisar ou montar um para a sua empresa. 

Não ache que esse artigo é mais do mesmo! Vamos explicar como desdobrar a estratégia em OKRs que vão mobilizar e engajar seus colaboradores.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Ao preencher o formulário acima, você está de acordo com nossa política de privacidade.

Criamos um guia e você pode navegar entre os tópicos clicando abaixo: 👇

O que é planejamento estratégico?

Primeiro, vamos entender o sentido das palavras: planejamento e estratégia.

Planejamento nada mais é do que uma preparação de um trabalho ou de uma tarefa, que inclui a determinação de etapas, procedimentos e meios para alcançar um objetivo. E estratégia significa “meios desenvolvidos para conseguir algo”, e geralmente se refere a como contornar as dificuldades.

No contexto organizacional, o planejamento estratégico trata-se de um plano que uma organização utiliza para melhorar a produtividade e os seus resultados, ou seja, sair do ponto A (local onde a empresa se encontra), para um ponto B (ponto futuro onde se deseja chegar).

A estratégia tem como objetivo trazer vantagem competitiva, por isso é definida a partir da visão de futuro da liderança, pois ela tem condições de enxergar de forma sistêmica toda a organização e o meio em que ela se encontra.

Certamente você já ouviu falar da célebre frase de Lewis Carroll no livro Alice no País das Maravilhas: “Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”, podemos utilizá-la em diversos contextos, e no mundo corporativo não seria diferente.

Se a empresa não tem clareza para onde quer chegar (o ponto B que falamos anteriormente), como vamos guiar toda a operação para o caminho desejado do sucesso? 

Para que serve o planejamento estratégico?

O planejamento estratégico serve como uma bússola dando direcionamento ao que a empresa pretende seguir.

Uma boa estratégia precisa potencializar as chances de sucesso ao equilibrar as oportunidades e ameaças de curto-prazo com as que serão enfrentadas mais à frente, às de longo-prazo. 

Além disso, sempre que falamos de estratégia pensamos em tempo. Estabelecer a visão do que se quer e aonde pretende chegar exige uma estimativa de tempo, prazo para que as ações cascateadas a partir da estratégia sejam executadas e tragam resultados satisfatórios. 

Outro ponto importante é a comunicação, o planejamento estratégico faz com que as pessoas entendam qual o impacto do seu papel na organização, e qual é a contribuição dela para o todo.

Sem uma boa comunicação o plano não passará de uma mera formalidade, um documento que acaba sendo engavetado e esquecido.

Como não é isso o que queremos, precisamos inspirar e engajar pessoas a participarem ativamente da construção, execução e revisão de plano de ação, como também na mensuração dos resultados. 

Não pense que somente as grandes empresas se beneficiam com um plano estratégico, às micro e pequenas empresas também podem ter vantagem competitiva sobre seus concorrentes quando planejam bem as suas ações.

E agora, por onde começar?

Confira abaixo o guia que elaboramos que explica como montar um planejamento estratégico único para a sua empresa em apenas 3 passos.

Passo 1: Propósito, Identidade e Valores.

Quando construímos um planejamento estratégico sempre iniciamos refletindo sobre o verdadeiro propósito da empresa.

O Golden Circle, que em português significa Círculo Dourado, é um método simples criado por Simon Sinek, autor do livro Start with Why (traduzido pelo português, Comece pelo porquê: Como grandes líderes inspiram as pessoas e as empresas a agir) que mostra como líderes e organizações influentes pensam, agem e se comunicam de dentro para fora do círculo, impactando o mundo através de propósitos inspiradores.

Golden Circle

“As pessoas não compram o que você faz, elas compram porque você faz isso!”

É uma das afirmações poderosas que Simon Sinek fez durante sua famosa palestra da TED Talk e nos faz refletir que para ponto de partida precisamos ter um propósito bem definido, assim influenciamos as pessoas a se identificarem com o propósito da empresa e escolherem os seus produtos.

“O objetivo não é fazer negócios com todo mundo que precisa do que você tem, mas fazer negócios com pessoas que acreditam no que você acredita”, conta Sinek em sua Ted Talk

Nessa etapa de construção do propósito, é importante refletir nas perguntas abaixo.

  • Por que a empresa faz o que faz? Qual é o sentido dela existir? 
  • Como a empresa gera valor?
  • O que a empresa faz?

Depois de estabelecer o propósito, podemos construir a identidade da organização. A missão, visão e valores da empresa determinam como todos os aspectos do negócio funcionam e representam a identidade dela. Mas muito cuidado, missão e visão são coisas diferentes.

A missão é o que a empresa faz (e pode ser feita através das respostas das perguntas 2 e 3 acima) e pra quem faz. A visão é onde a empresa quer estar no futuro. O propósito é o porquê ela faz o que faz. E os valores são princípios que a empresa considera como primordial e é reconhecida.

A visão empresarial, quanto mais longe olharmos, mais incertezas teremos e o nosso plano corre o risco de ser pouco confiável.

Por isso, é aconselhado que a visão de futuro seja para o cenário de três a cinco anos, porém é necessário que de tempos em tempos seja revisitada a fim de garantir que esteja alinhada com o atual momento da empresa. 

Passo 2: Posicionamento e análise dos ambientes

O segundo passo é conhecer mais da empresa, levantando o que há de melhor nela, conhecer o mercado e definir estratégia de posicionamento. 

Definição do Posicionamento

Para definir o posicionamento de mercado existem duas estratégias: o oceano vermelho e o oceano azul. Vale destacar que não existe estratégia certa ou errada, existe a melhor que se encaixa para a sua empresa! Podemos ver de forma detalhada as duas estratégias.

Análise dos ambientes: interno e externo utilizando a Matriz SWOT

A matriz SWOT (sigla com as iniciais de Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats) que significam Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, é crucial para se fazer um bom planejamento estratégico.

Ela serve para gerar o cruzamento de informações para ajudar a empresa na tomada de decisão.

A análise SWOT tem como objetivo mapear as oportunidades e ameaças que uma empresa pode enfrentar, e as forças e fraquezas que ela tem que podem ser trabalhadas com a finalidade de alavancar as oportunidades e bloquear as ameaças que podem surgir.

Para construir a Matriz SWOT é necessário várias mãos, então é importante reunir as lideranças para registrarem a realidade das áreas, fazendo uma auto-análise empresarial com a finalidade de potencializar aquilo que for positivo e buscar minimizar suas fraquezas e ameaças.

Passo 3: Formulação de objetivos, metas e projetos

Agora que a estratégia já está construída, chegou o momento de definir os objetivos e as metas. Os objetivos estratégicos servem para segmentar essa visão de futuro (estratégia macro) em objetivos menores para direcionar as ações e possibilitar melhor gerenciamento dos projetos e dos resultados. 

OKR (Objectives and Key Results) que significa Objetivos e Resultados Chave é uma metodologia de gestão muito utilizada por empresas no Vale do Silício pelo fato de ter uma abordagem simples, e por ser uma metodologia ágil, os ciclos de revisão dos OKRs são mais curtos possibilitando ajustes mais rápidos frente às mudanças. 

A estrutura dos OKRs é da seguinte forma: Objetivo – o que a empresa quer alcançar? O objetivo precisa ser curto e inspirador, sendo que seu principal objetivo é comunicar. Resultados Chave – como vou mensurar?

É importante saber que eles devem ser quantitativos e mensuráveis, e totalmente relacionados ao objetivo estabelecido. É recomendado que cada ciclo tenha no máximo cinco Objetivos (O) e que cada um deles tenha até cinco (KR), e geralmente os ciclos têm três meses de duração, mas podem variar conforme estrutura de cada empresa. 

Os OKRs atuam como uma ferramenta de comunicação interna que colabora na integração de times através de objetivos alinhados à estratégia e à cultura da empresa. Os OKRs precisam ser inseridos no dia a dia dos times para que eles saibam o que precisa ser priorizado no momento, e com reuniões constantes, acompanharem o andamento dos OKRs. 

A gestão com as OKRs é Bottom-up e Top-Down, devem ser acordados entres as diretorias e os times, e geralmente no mínimo 60% dos objetivos (O) e dos resultados chaves (KRs) precisam ser definidos pelos times que vão executá-lo.

Os times podem criar projetos relacionados aos KRs e definir respectivos responsáveis (owners) para gerenciar as ações e prazos através de ferramentas acessíveis ao grupo. E para motivar os times a irem além, as metas precisam ser desafiadoras porém possíveis de serem alcançadas.

Gostou? Esperamos que você tenha aprendido sobre a importância do planejamento estratégico para a sua organização e como desdobrá-lo em OKRs. Para aprender mais, continue navegando em nosso blog e confira nossos conteúdos sobre gestão e tecnologia.

Quer saber mais sobre OKRs? Confira em Metodologia OKR: como definir as metas da empresa e alcançar melhores resultados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *